26.2 C
Goiás
quarta-feira, 28 outubro 2020
No menu items!

Processo de superação do câncer vira livro de professora de comunicação da UFG

Leia Também

Boletim diário do coronavírus passa por mudanças

Bolsonaro confirma alterações e diz que medida visa “evitar subnotificações e inconsistência” Ana Caroline Alves Nessa última sexta feira (5),...

Educação em tempos de pandemia

Diante da pandemia e do fechamento temporário das escolas, o ensino a distância (EAD) vem sendo utilizado para minimizar...

Para os apaixonados

Goiânia contara com uma programação super especial para os dias dos namorados Barbara Zani Borborema Miranda Apesar do isolamento social, Goiânia...
Raimunda Araújo
Raimunda Araújohttps://goiaspost.com.br/
Estudante do 3° período de jornalismo na PUC Goiás.

“A superação está no tratamento, mas está, acima de tudo, em nós mesmos”.

 Por Raimunda Araújo

A superação de uma doença contada em livro. O título é curioso: “O sabor da Jaca”. A descoberta da superação (super + ação) de uma mulher que se viu diante da luta pela vida. Esse momento da sua vida trouxe a profunda experiência de escrever sobre si mesma. Passou então a conversar consigo mesma, a fazer desabafos, confissões aleatórias. Para ela era como terapia que se transformou em solidariedade, pois todo o lucro da venda do livro foi direcionado a trabalhos dedicados à luta contra o câncer. “O livro não é sobre uma doença, é um relato de uma pessoa que escolheu ser saudável e teve a disciplina para alcançar esse feito”, destacou no prefácio da obra, a protagonista da história, Simone Antoniaci Tuzzo.

Há várias formas de as pessoas expressarem os seus sentimentos, angústias, desabafos, alegrias. Seja com amigos, familiares, profissionais da saúde e até mesmo escrevendo um livro em que abre sua vida para todos. Como diz o poeta Fernando Pessoa: “Escrever é esquecer”. E foi isso que a professora Simone fez, escrevia para esquecer a sua dor e jamais pensou que seus relatos se tornariam um livro. “A decisão de escrever veio muito antes de imaginar que isso poderia se tornar um livro, pois, no começo, eu escrevia para mim, para lembrar daquilo que preferia esquecer; para registrar uma memória nova, inesperada, tumultuada. Escrevia como forma de soltar a voz, para gritar em silêncio, para abafar em palavras o que me sufocava em acontecimentos”, afirmou.

 

Fotos: Fábio Lima – @aconteceimagem

O livro de Simone não foi escrito de forma linear, porque enquanto ela se tratava, suas milhares de palavras eram digitadas aleatoriamente sem pretensões de publicação. Ela sentia a cada dia as confissões feitas em Sabor da Jaca: “Escrevia quando era possível, quando o corpo reagia, quando as forças não estavam inexistentes”, ressaltou. O livro foi organizado em ordem de sentidos para que todos entendessem e mergulhassem na leitura.

 

O livro não traz somente a história da superação de um câncer. Segundo Simone, relata desde a descoberta da doença, as reações, e todo o processo, entre superação e descobertas. “A minha ideia foi nunca me colocar como vítima, mas como um ser que passou por uma experiência. Não fazer a comum pergunta: ‘Por que eu?’ Saber que Deus nos escolhe todos os dias para várias situações boas e ruins, tudo é sempre um grande aprendizado na vida. Deus nos escolhe para coisas maravilhosas, para as quais raramente dizemos: ‘por que eu?’, mas nas situações que não queremos viver questionamos e nos vitimizamos. Isso penso não ter sentido. O livro apresenta uma mulher em ação, pois, para conseguir superar precisamos de ação, por isso: super + ação. A superação está no tratamento, mas está, acima de tudo, em nós mesmos”.

No início do tratamento de Tuzzo, com duração de três meses, foi feita a primeira cirurgia e tudo parecia bem. Em abril de 2019, ela fez nova cirurgia, pois descobriu um novo problema no pescoço. Ficou, portanto, mais três meses fazendo rádio e quimioterapia, finalizando o tratamento em dezembro de 2019 com toda uma equipe médica composta por fisioterapeutas, dentistas, psicólogas e nutróloga.

As pessoas ficam enfermas, é fato. Querem se curar logo. Voltar para casa, ter de volta a sua rotina normal com sua família e amigos, mas Simone não pensou como a maioria, ela foi além, mesmo se encontrando na mesma situação, foi muito solidária em expressar suas emoções como uma verdadeira inspiração de vida para todas as pessoas. Seu livro não é só para as pessoas que estão doentes por algum tipo de câncer, mas para todos os públicos. Pensando no próximo, enfermos ou não, ela revela a real intenção do seu livro:

Fotos: Fábio Lima – @aconteceimagem

“A intenção é me aproximar de outras pessoas que passaram ou que passam pela mesma situação e, assim, também deixar a minha impressão, a forma como resolvi e passei pelo diagnóstico, pelo tratamento, por experiências, sintomas e locais tão comuns àqueles que se encontram na mesma condição. Com isso tentar provocar a verbalização delas e construirmos uma rede de conhecimento e experiências que, de alguma forma, possa ser útil. Sinto que muita gente evita até mesmo falar o nome da doença. O livro tem a intenção de mostrar, primeiramente, que é possível seguir, é possível conseguir”, declarou.

Simone explicou ainda que O Sabor da Jaca não é um manual, mas contém muitas histórias de como ela colocou nas cenas não somente como paciente, mas como um ser em atividade. “A obra contém tudo o que eu precisava realizar naquele momento: “a administração do tratamento; comparecimento aos locais como clínicas, consultórios e laboratórios; cuidados em casa; alimentação; repouso e tudo o que envolveu os dias e as noites desse episódio; também me transformava na atriz principal, a dona da história”.

Fotos: Fábio Lima – @aconteceimagem

Por fim, Simone comentou sobre os sentimentos que o processo de escrita do livro e de luta contra a doença fizeram aflorar. “Escrever é extrapolar a relação das coisas e, ao expressá-las, mostrar que a importância não está nelas, nas coisas, como o tratamento, os objetos utilizados durante o processo, os medicamentos; a ênfase não está nas cirurgias, tampouco nas consultas, mas a ênfase está em mim, em tudo aquilo que as coisas provocam em um organismo que precisa reagir, precisa voltar a ser pleno e saudável. A ênfase, assim, está no fim, na cura, e não nos meios utilizados para a sua busca. Por fim, expresso esse sentimento em forma de livro para aqueles que, espero, nunca precisem passar por isso, mas… nunca se sabe”, finalizou. Ah! E o título O Sabor da Jaca continuará sendo uma curiosidade que só poderá ser desvendada por aqueles que lerem esta bela obra.

Sobre:

Simone Antoniaci Tuzzo

Pós-doutora e doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; mestre em Comunicação Social e graduada em Relações Públicas pela Universidade Metodista de São Paulo. É professora efetiva do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Goiás. É autora e organizadora de livros na área da comunicação com destaque para: Os sentidos do impresso e Deslumbramento coletivo. É comunicóloga, consultora, palestrante, professora e pesquisadora. É casada e mãe de dois filhos.

Possui um site com todos os seus livros, artigos opinativos, textos acadêmicos e publicações cientificas:

www.simonetuzzo.com

contato: [email protected]

 

- Publicidade -
- Advertisement -

Últimas Notícias

Boletim diário do coronavírus passa por mudanças

Bolsonaro confirma alterações e diz que medida visa “evitar subnotificações e inconsistência” Ana Caroline Alves Nessa última sexta feira (5),...

Educação em tempos de pandemia

Diante da pandemia e do fechamento temporário das escolas, o ensino a distância (EAD) vem sendo utilizado para minimizar o impacto negativo sobre a...

Para os apaixonados

Goiânia contara com uma programação super especial para os dias dos namorados Barbara Zani Borborema Miranda Apesar do isolamento social, Goiânia volta o tempo da brilhantina...

Junho Vermelho reforça importância das doações de sangue na Hemorrede Pública de Goiás

Com a pandemia, bancos de sangue da rede pública de saúde de Goiás registraram queda de 15% no último mês  Assessoria de Comunicação do Idtech  A...

Processo de superação do câncer vira livro de professora de comunicação da UFG

“A superação está no tratamento, mas está, acima de tudo, em nós mesmos”.  Por Raimunda Araújo A superação de uma doença contada em livro. O...
- Advertisement -

Notícias Relacionadas

- Advertisement -